Eu e o Rio de Janeiro

Bem, o mundo está vivendo tempos conturbados. As notícias de ataques com mortes onde perdemos a conta de tanto sangue derramado por nada. Mas nos últimos dias, eu ficava acompanhando a convenção dos democratas e conversando com um grupo de baladeiros cariocas no whatsapp. Mas virei uma espécie de terapauta paulista-cosmopolita-caipira para os habitantes da cidade maravilhosa.

Sempre que vejo o Rio nas fotos de um amigo marombado paulistano como Moreno Jeff. Penso na visita que a minha mãe fez a tal cidade em 1978. Ela nunca me contou isso. Mas lembro do cartão postal do amigo Miguel Luis. Isso me ajudou na função de entender as neuras de uma cidade partida entre o morro e o asfalto como tão bem retratou Zuenir Ventura.

Sempre ouvi o relato de amigos como Pedro e seus desabafo contra aqueles colegas que estidavam em universidades públicas, mas eram bancados pelos pais desde do dinheiro do tanque do carro do ano ou comprar uma lente de máquina fotográfica que custa dez mil reais e a dura vida em uma comunidade que fica na distante zona norte da cidade.

Lembro de minha amiga Júlia que organiza festas indies ou dos meus amigos baladeiros que sempre combinam para ir a uma festa marcada com absoluta antecedência. Sempre sou convidado para tais encontros via facebook. Mas não sei se poderei a tal evento. Eles ficam impressionados com a minha voz de dublador e pelas besteiras que falo no whats.

Nas últimas horas, virei um terapeuta de whatsapp. Posso dizer que tenho um futuro promissor na área terapeutica mesmo não tendo um diploma reconhecido pelo ministério da educação ou da pasta da Saúde. Por essas e outras, sempre vou ter o Rio de Janeiro em meu coração mesmo nunca ter ido ao corcovado ou visitado a Rocinha e adjacências.

Anúncios

A retroalimentação do extremismo

Durante a votação do impeachment. O deputado federal Jean Wyllis (PSOL-RJ) deu uma cusparada contra o seu colega de parlamento, Jair Bolsonaro (PSC-RJ). Isto repercutiu fortemente nas redes sociais com fortes críticas ao comportamento de Jean junto com o fato de Bolsonaro ter adotado uma postura controversa ao ter dito Tchau Querida.

Isso cria uma retroalimentação do extremismo. Em 2011, eu publiquei neste blog um artigo em que fazia controversa defesa do direito de falar de Bolsonaro por acreditar na liberdade de expressão e ser contra os processos movidos por famosos contra qualquer que ousa fazer uma crítica sobre tais personalidades. Não mudo uma virgula de tal texto nos tempos que era um advogado de direita, mas reconheço que encontrei uma voz própria e uma visão moderada do mundo.

Naquela época, Jair estava sendo processado por Preta Gil pelo simples fato de ter dito que ela era uma promíscua em uma entrevista ao programa CQC. O processo correu na justiça carioca onde Bolsonaro venceu no STF onde pedia a cassação de seu mandato, mas teve que pagar uma indenização para Preta. Mas isso foi pouco divulgado pela mídia após quase quatro anos de rito processual.

Mas passados cinco anos, pouca coisa mudou. Vivemos uma polarização no Rio de Janeiro onde a Zona Sul defende Jean Wyllis com veemência enquanto Jair Bolsonaro é louvado pela população da Baixada Fluminense. Ambos alimentam uma retórica onde as críticas mutuas dão lugar as propostas como mudar a vida dos fluminenses em que vivem as agruras do estado falido.

A retroalimentação do extremismo ganha força diante de um debate empobrecido intelectualmente em que não se tem a real noção da realidade fluminense. Invés de defender minorias ou maiorias com atitudes estúpidas. Peço que tais deputados federais possam entender a realidade carioca do que apenas ficaram trocando xingamentos e cusparadas.

 

Rio 450

Neste 1º de março de 2015, a cidade do Rio de Janeiro completa 450 anos. Outrora capital do território tupiniquim e atual paraíso das mulheres gostosas de biquínis minúsculos. Os cariocas não tem muito o que comemorar tanto por causa da violência dos morros e favelas quanto as obras urbanísticas para as Olimpíadas de 2016 tocadas pelo prefeito Eduardo Paes. Mas qual será o futuro deste vilarejo com seus contrastes e paradoxos que a população convive por ao longo deste tempo.

A cidade onde a favela encantou o asfalto com o samba e o funk. Mas se assusta quando tem um simples arrastão em Ipanema. Os políticos sempre fizeram um populismo medíocre para angariar mais votos. Hoje, o Rio de Janeiro virou um palco do duelo entre traficantes e milicianos. O carnaval tão celebrado pelas escolas de samba foi esquecido e virou uma peça publicitária onde a Beija-Flor vence a competição com um enredo louvando a ditadura de Guiné Equatorial ou homenageando um contraventor.

O Rio de Janeiro vive uma era da aristocracia enrustida. Os intelectuais da zona sul que sempre tem críticas aos reacionários paulistas, mas sempre dependem da ajuda do porteiro cearense. Isso não permite uma evolução cultural. A cidade virou uma Hollywood por causa dos artistas da TV Globo. Tanto que vemos as fotos deles em lugares públicos como as praias ou um algum barzinho descolado onde as conversas sempre giram sobre aquela dieta do que sua atuação na novela das 9.

Sempre tem uma nostalgia dos tempos de capital do império e da república. Mas a cidade precisa sair da armadilha do passado para pensar no futuro. Não estou falando de programas coniventes com os interesses escusos. Penso que o Rio deveria olhar para frente se quiser se manter em um cartão postal mundial. Enquanto o mundo é rock n’ roll, o carioca é uma bossa nova chata pra burro onde os intelectuais da zona sul admiram como forma de cultura sofisticada para gringo ver e ouvir.

No momento que a cidade completa 450 anos. O Rio de Janeiro exige uma profunda reflexão sobre seu futuro. Não queremos saber do artista global ou da violência dos morros. O carioca quer uma cidade onde os transportes públicos sejam eficientes, a baía do Guanabara seja despoluída a tempo para as Olimpíadas de 2016. Isto exige uma ampla fiscalização do poder público. Quando o Rio de Janeiro completar 500 anos, assim a população terá orgulho desta terra tão cantada quão criticada.

PMs param no Rio de Janeiro e exército vai as ruas para evitar um deus nos acuda

Após as parilisações de policiais militares na Bahia que gerou uma onda de violência antes do carnaval. Agora, PMs fluminenses vão fazer uma greve também por melhores salários. Com temor de uma onda de violência semalhante a de Salvador. O governo estadual pediu que o exército ficasse de prontidão em caso de nenhum PM esteja nas ruas. Tem um lado positivo nisso tudo, temos a possibilidade de estarmos livres da praga do carnaval. Tanto o baiano e o carioca. Nunca tive a sensação que meus ouvidos serão preservados neste periodo fétido do ano.

Operação policial no Rio de Janeiro bota bicheiros na roda.

Uma operação policial deu aquela despertada no carioca hoje. A Polícia Civil iniciou uma operação contra os bicheiros (controladores do ilegal jogo do Bicho) locais com direito a aquele entrada cinematográfica (teve helicóptero e policiais descendo de rapel para agradar a Globo quer filmava a ação) na cobertura do patrono da escola de samba Beija-Flor, Aniz Abrahão David. O objetivo é comprovar a existência de um esquema corrupto envolvendo bicheiros, policiais e políticos. Será que eles ficaram assistindo filmes de ação para se inspirar?

Cariocas vão as ruas pelo Pré-sal invés de protestar contra as milicias

Ontem, os cariocas foram ás ruas para protestar …. contra a nova distribuição dos royalties do petróleo da camada Pré-sal. Artistas, políticos e populares fizeram uma super-manifestação a pedido do governador Sérgio Cabral. Não entendo, eles protestam por royalties invés de protestar contra a falta de segurança e das milicias. Isso mé dá uma vergonha daquelas.

Mais um bueiro-bomba explode no Rio de Janeiro.

A farra dos bueiros-bomba da Light continua no Rio de Janeiro. Ontem, um bueiro explodiu em Botafogo ferindo um servente de pedreiro. A concessionária carioca teria de pagar uma multa caso um bueiro explodisse novamente por causa do acordo com o ministério público não foi homologado pela justiça e não foi publicado pelo Diário Oficial. Que maravilha!!!!!