Será que teremos uma pizza?

Hoje, o Supremo Tribunal Federal (STF) aprovou os embargos infringentes. Esse recurso permite um novo julgamento em caso onde houve a condenação por um placar 6 a 4.  O voto decisivo do ministro reabriu o julgamento do mensalão onde 25 pessoas foram condenadas. Agora, com o embargo aceito, 12 réus terão um novo julgamento que será marcado em fevereiro de 2014.

Entre os beneficiados estão o ex-tesoureiro de PT, Delúbio Soares, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, e os deputados federais João Paulo Cunha e José Genoino. Isso cria mais um capítulo no rumoroso caso do Mensalão, que está na justiça há mais de 7 anos.  Esse caso é o mais complexo escândalo político de nossa história. A nossa democracia precisa ver punições para não sucumbir a corrupção de proporções epidêmicas que vivemos.

O voto decisivo em favor dos embargos foi do ministro do STF Celso de Mello. Ele mostrou a sua independência ao dar um voto contra a maré da maioria que clama por uma punição. Mas mostrou que o judiciário se reduziu a um mundo que vive distante da realidade de nosso país. O STF tem que refletir sobre o seu papel na realidade brasileira. Coisa que não fez hoje no exemplo do voto de Celso de Mello.

Os embargos infringentes pode nos dar a sensação de impunidade irá perpetuar na política brasileira. Os nossos principios podem ter sido jogados no lixo. Mas sempre há uma esperança no fim desse tunel. Temos que pensar que tais réus podem ser condenados novamente com provas mais precisas e termos a certeza de que o povo de nosso país está cansado de tanta coisa errada que o ocorre no nosso país.

As manifestações de Junho foram um exemplo disso. Podemos esperar um povo que posso ir as ruas para despertar o gigante que voltou a dormir. Nosso povo irá lutar para que o status quo seja mudado de forma exemplar. O voto de Celso de Mello foi uma derrota para a nossa jovem democracia, mas por outro lado, pode ser o estopim de grandes mudanças no nosso país. Mas fica a pergunta: Será que teremos pizza? Só o tempo vai responder a essa questão.

Anúncios

Joaquim Barbosa rejeita pedido de prisão de mensaleiros para o alívio dos petistas

Joaquim Barbosa rejeita pedido de prisão imediata dos condenados do mensalão

Fonte: Portal UOL.

Bem, eles vão passar as festas do fim de ano fora da cadeia. Mas o xilindró está esperando por eles em 2013.

O julgamento do Mensalão; 28/11/2012: o fim

STF conclui definição das penas para so 25 condenados do mensalão; 13 réus irão para a prisão

Fonte: Portal UOL.

Após 4 meses, muitas reclamações, ministros trocando farpas e afins. Encerra mais um julgamento histórico para o STF e a política tupiniquin. Será que os nossos políticos aprenderam a lição?