O individuo

Ontem, a Hungria perdeu a voz de Imre Kertész. O prêmio nobel de literatura em 2002. Sua obra fala do individuo diante do autoritarismo. Kertész sobreviveu aos campos de concentração nazistas como Auschwitz-Birkenau e a ditadura comunista em sua Hungria natal entre 1950 a 1989.  Mas o que me toca em Imre é ter mantido a sanidade diante de uma loucura autoritária. O mundo agradece por conhecermos uma pessoa como Imre Kertész.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s