Quando somos nós mesmos

Vivemos um tempo onde a falta de liberdades individuais é nítida. Todo mundo vive se policiando nas redes sociais. Isso pior que o estado policial implementado nos regimes comunistas pelo globo onde qualquer fofoca é uma ameaça contra a soberania nacional e sempre temos aquelas pessoas moralistas.

Não entendo porque as pessoas insistem em dar seus palpites além de não criar uma vida pessoal onde não se preocupa com os atos de seus vizinhos só para contar a todos da comunidade como uma forma de vigilância estúpida e que não leva a nada por apenas pela força do medo de uma reputação ser destruída por uma questão pessoal.

Regimes comunistas insistiam em criar o homem novo que não tinha os vícios do capitalismo. Mas o fracasso era evidente que o apelo para a vigilância da sociedade por meio de fofocas e medidas autoritárias eram algo comum. Os problemas pessoais eram usados contra a sua pessoa por uma simples picuinha.

Não vivemos em um mundo perfeito. Mas hoje, qualquer empresa faz uma varredura em suas redes sociais para saber a formação de um funcionário. Mas isso falha. O que vemos de funcionários da Globo que vazam capítulos de novelas mesmo tendo jurado lealdade a mesma como forma de mentira deslavada.

Prefiro que a sociedade seja mais ela mesma com os seus vícios e virtudes do que jurar lealdade a uma empresa ou fazer parte de um sistema autoritário onde qualquer fato possa ser usado contra aqueles que não se adaptam ao sistema do homem novo. O mundo precisa de indíviduos e não de suas fofocas.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s