Malcolm Fraser

Em certos momentos da história contemporânea. Os indivíduos mudam o curso dos eventos históricos por causa de seus princípios. Esse é o caso do ex-primeiro-ministro australiano Malcolm Fraser, que morreu ontem aos 84 anos. Ele era tido como um liberal nas questões sociais e conservador nas doutrinas econômicas. Principalmente, quando o partido Liberal bloqueou a proposta de orçamento em 1975, que foi o estopim da queda do premiê trabalhista Gough Whitlam, outro titã da política australiana.

Invés de adotar uma agenda conservadora. Fraser primeiro colocou a casa em ordem para continuar com as mudanças sociais defendidas por Whitlam. Ele assumiu o governo após a demissão do premiê trabalhista pelo governador-geral John Kerr. O que se pensava ser mais um liberal de direita se transformou um ferrenho defensor dos direitos humanos e um pioneiro em campanhas internacionais como o fim do regime segregacionista sul-africano Apartheid quando não se imaginava uma postura tão forte quão honesta.

Em tempos de um pragmatismo hipócrita onde as democracias ocidentais mantém acordos de conveniência com ditadores de países aliados. Uma postura adotada por Fraser era muito avançada para a época em que ele era um primeiro-ministro que procurava manter uma política externa independente e baseada nos princípios que sempre defendeu durante toda a sua vida. Ele não foi um traidor de suas próprias convicções. Mas teve a coragem de adotar uma agenda liberal defendida ardorosamente por Whitlam.

Ao defender leis como a devolução de terras para os aborígines, a permissão da entrada de asilados ao país e defender os direitos humanos em uma época de tensão internacional nos tempos de Guerra Fria. Ele iniciou uma política externa voltada a região da Ásia-Pacífico. Durante seus oito anos de governo, vimos uma mudança social enorme. Uma revolução feita por palavras e leis do que em armas. Isso permitiu um florescimento cultural de uma Austrália multicultural fortemente apoiada por Fraser.

Nos últimos anos de vida, Fraser foi uma grande defensor dos direitos humanos, refugiados e das liberdades individuais. Sempre recorria ao Twitter para fazer críticas aos seus sucessores. Tanto trabalhistas quanto liberais não escapavam das broncas virtuais do ex-premiê. Sua postura independente fez que saísse do partido Liberal em 2009 após a ascensão do atual primeiro-ministro Tony Abbott. Em momentos onde uma nação se vê em uma mudança social. Homens como Malcolm Fraser são necessários para que essa mudanças continuem de forma firme e justa,

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s