Revendo os conceitos sul-coreanos

Nas últimas semanas, a justiça sul-coreana tem dado decisões interessantes. A condenação do ex-diretor do serviço de inteligência, Won Sei-hoon; e da executiva da Korean Air, Heather Cho junta-se a decisão de hoje da corte constitucional de descriminalizar o adultério no país. O poder judiciário está permitindo uma relação de confiança com os cidadãos. Mas que emperra para uma maior credibilidade das instituições será na condução do caso de balsa que naufragou no ano passado em que centenas de estudantes morreram.

Nos últimos meses, a Coreia do Sul tem se transformado. Os executivos do conglomerados familiares conhecidas como chaebol são condenados pela justiça como foi o caso Heather Cho, filha do dono da Korean Air. Membros de serviços de inteligência como NIS como Won Sei-hoon foram julgados por não manter uma neutralidade política durante a campanha presidencial de 2012 onde soltaram calúnias sobre os candidatos oposicionistas em favor da atual presidente Park Geun-hye, que foi eleita sem nenhuma acusação.

A descriminalização do adultério era uma aberração jurídica local onde sul-coreanos eram condenados por traição, mas não iam para a cadeia cumprindo a pena com prestação de serviço. Tal arcabouço foi introduzido em 1953. A decisão de hoje inicia uma nova era na questão moral sul-coreana. Este que vos escreve não é a favor da traição, mas temos que reconhecer que considerar isso como crime com punição capital como ir para uma prisão soa de maneira estranha e bizarra ao mesmo tempo.

Agora, os sul-coreanos tem uma segurança jurídica. Mas precisam rever os conceitos como o serviço militar obrigatório que virou um problema pelo alto número de ataques de armas de fogo envolvendo soldados e oficiais superiores. Além de reconhecer que os problemas mentais fazem parte da sociedade (fato visto como fraqueza por sociedades do oriente). A Coreia do Sul vai levar um tempo neste processo de reconhecimento de tais mazelas. Este é um momento de liberalização no páis asiático.

A condenação de Heather Cho e Won Sei-hoon junto com a descriminalização do adultério reforça uma mudança de rumo na sociedade sul-coreana que sempre foi dominada por uma hierarquia tácita. Este é um momento onde o sul-coreanos podem festejar que a justiça está sendo feita. Mas problemas como lidar com o passado autoritário ou as recentes tensões com a Coreia do Norte reforçam um certo sinal de enfraquecimento ao sul da península coreana. Mas é apenas uma mudança de costumes.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s