O mito Churchill – parte 5

Quando a segunda guerra mundial terminou, Winston Churchill pensou que iria voltar nos braços do povo nas eleições gerais de 1945. Mas foi derrotado pelos trabalhistas liderados por Clement Atlee. Agora, ele tinha que exercer um poder influência no pós-guerra. Tanto que escreveu livros sobre os anos do conflito mundial e exerceu o cargo de líder da oposição. Churchill se manteve o mesmo dos tempos anteriores a assumir o cargo de primeiro ministro. Um maverick que seguia as suas próprias intuições.

Ele fez discursos memoráveis a favor do mundo livre. Em uma viagem aos Estados Unidos, ele classificou os estados satélites da Europa Oriental que estavam sob o comando da União Soviética como a Cortina de Ferro. Em uma visita a Suíça, Ele defendeu a criação dos Estados Unidos da Europa como forma de evitar novas guerras entre os países europeus. Este seria o embrião da União Europeia. Sua visão como estadista era admirada e respeitada tanto por aliados quanto por inimigos.

Atlee fez grandes estatizações e reformas no sistema de bem-estar social como a criação do NHS. Mas vivia uma crise na economia em 1951. Quando Churchill retornou a Downing Street como premiê. Tão logo assumiu o poder, ele tinha que lidar com a transição na monarquia britânica com a morte de George 6º e ascensão de Elizabeth 2º ao trono britânico. Isso permitiu uma relação de amizade entre a monarca e o premiê. Mas era notado o declínio físico de um ser de mais 80 anos de idade.

Após pedidos de sua mulher, Clementine. Churchill decidiu renunciar ao cargo de premiê em favor de seu secretário de relações exteriores, Anthony Eden. Nos últimos anos, a saúde do primeiro-ministro estava em franca decadência. Ele vivia uma vida em Mônaco onde tudo era festa enquanto repousava em Charleston. O ex-primeiro ministro queria descansar, mas não ficar longe da política. Winston sofria com as profundas crises de depressão que te impediam de ter uma aposentadoria tranquila.

O temor da morte de Churchill era tanto, que o governo britânico planejou o cerimonial de seu enterro. A operação hopenote tinha como objetivo dar um funeral de chefe de estado para um ser que liderou o Reino Unido em um momento difícil. Ele sofreu um derrame e sua longa batalha por sua vida foi narrada pelos jornais britânicos. Mas em 24 de janeiro de 1965, Winston morreu ao lado de sua família. O país ficou de luto, mas agradeceu Winston Churchill por seu esforço de manter o Reino Unido em uma posição de destaque no mundo moderno.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s