A vitória do Abenomics

Ontem, os japoneses foram a urnas para decidir o futuro do país. O premiê liberal-democrático Shinzo Abe foi reeleito para o cargo. O partido Liberal Democrático conseguiu conquistar 291 cadeiras no parlamento junto com o seu parceiro de coalizão, o budista Komeito com 35 assentos. Em um momento onde a economia japonesa está em recessão e o programa de estímulo econômico proposto por Abe, apelidado de Abenomics, promete recuperar a confiança dos japoneses que convivem com a deflação e afins.

Com dois terços do parlamento sob seu controle, Abe terá mais poderes para colocar em prática o Abenomics e a sua agenda nacionalista como mudar a constituição pacifista de 1947, para permitir um novo papel para as forças armadas como ajudar os Estados Unidos em contendas contra a Coreia do Norte e ser um contraponto ao expansionismo chinês. Com baixa participação da população com 52% dos eleitores registrados foram as urnas mesmo sob uma onda de frio e neve que atinge o país.

Abe afirmou que não quer complacência com o cenário econômico atual onde a recessão e a deflação continua de forma presente. As reformas na economia que ele prometeu em 2012 e 2014 pode ser necessárias para tirar o Japão da letargia que vive. Uma mudança nas leis trabalhista pode causar uma crise sem precedentes na cultura do trabalhador começar a sua carreira e se aposentar na mesma empresa. A demanda por imigrantes de outros países asiáticos e do Brasil com seus dekasseguis (descedentes de japoneses)

Uma das empresas que são exemplo das mudanças propostas por Abe é a montadora de carros Nissan, que demitiu funcionários no início dos anos 2000 e começou uma revolução administrativa feita pelo brasileiro Carlos Ghosn. Agora, o primeiro-ministro deseja que o Japão possa ser uma grande força econômica que perdeu o 2º lugar entre as grandes economias para a China. O Abenomics pode ser a solução ou fracasso de Abe para tirar a economia do estado de recessão que sempre vive desde da crise econômica de 1987.

O Abenomics é uma doutrina econômica que pretende modernizar o Japão tanto economicamente quanto politicamente. Mas decisões controversas poderão ser tomadas como autorizar o funcionamento das 48 usinas de energia nuclear que foram desligadas após o acidente de Fukushima. Este novo Japão prometido pelo primeiro-ministro terá que ser forte para reforçar a sua posição. A assinatura de acordos de comércio com países como Austrália e Índia é um sinal que as mudanças de Abe ganham apoio e definirão o futuro político do premiê;

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s