A queda da Cortina de Ferro

O termo Cortina de Ferro foi criado pelo então primeiro-ministro britânico Winston Churchill em sua visita aos Estados Unidos nos anos 1940. Ele se referia aos países comunistas do leste europeu, onde a União Soviética tinha influência política e militar sobre os mesmos. Mas está divisão que ocorria na Europa Oriental desmoronou como um castelo de cartas com as políticas reformistas feitas pelo líder soviético Mikhail Gorbachev como a Perestroika (reestruturação) e a Glasnost (abertura) em 1985.

As mudanças na Cortina de Ferro começaram muito antes de 1989. Em 1956, Hungria e Polônia ensaiaram uma reforma política que foi sufocada por uma invasão militar soviética. Em 1968, os ecos do reformismo se espalharam por toda a Checoslováquia. O pedido de reformas políticas onde os checos tinham o privilégio de ter liberdades individuais sendo respeitadas foi aniquilada por mais uma ocupação do Pacto de Varsóvia (aliança militar dos países comunistas) em agosto daquele ano.

Passado um tenebroso inverno na Cortina de Ferro, os ventos da mudança começaram a ser tornar realidade quando os intelectuais checos escreveram a Carta 77, pedindo reformas na Checoslováquia. Mas a semente da mudança nos países comunistas aconteceu em 1980, no cidade portuária de Gdansk, onde um simples operário chamado Lech Walesa criou o primeiro sindicato independente, o Solidarnosc (solidariedade em polonês), que enfrentava a força de Varsóvia com uma coragem nunca antes vista.

O processo de mudanças que ocorria na Polônia era uma forma de abrir um novo caminho para as reformas tão desejadas pela população. Com o fracasso do stalinismo na União Soviética, a ascensão de um político como Mikhail Gorbachev pavimentou um caminho de mudanças no leste europeu. Em 1989, a Hungria se tornou o primeiro país a ter um governo não-comunista. A reação foi um efeito dominó sem precedentes. A população se sentia encorajada a sair de países comunista para ir ao Ocidente.

Depois da queda da Hungria, a Polônia conseguiu sair da orbita soviética com a ascensão do Solidarnosc. O choque foi tanto que para conter a fuga em massa da população deste países. O governo da Alemanha Oriental permitiu a derrubada do muro de Berlim. Após as notícias da queda do partido comunista na Bulgária e Checoslováquia. O mundo se perguntava o que estava acontecendo com aquele pedaço do mundo. A resposta que a população quer democracia e estava determinada a derrubar a Cortina de Ferro.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s